fbpx

O livro Pai Rico, Pai Pobre é o primeiro de uma série de resumos e discussões dos melhores livros de finanças e investimentos, onde eu vou trazer um resumo de cada capítulo a fim de te ajudar a resolver os seus problemas financeiros.

Em princípio, vou falar sobre o capítulo 1 do livro Pai Rico, Pai Pobre de Robert Kiyosaki, um best-seller de finanças pessoais. Mas, antes de começar, eu vou falar um pouco mais sobre o autor

Robert Kiyosaki

História

Robert Kiyosaki é um empresário nascido no Havaí em 1947, cujo sonho era viajar o mundo a fim de conhecer outros mercados e, para isso, se formou na Marinha Mercante.

Esta formação rendeu-lhe um emprego na Standard Oil Company, uma das maiores companhias de petróleo que foi criada em 1870 e, posteriormente, absorveu todo o mercado, tornando-se um monopólio.

Devido à sua formação na Marinha, integrou-se ao grupo de Fuzileiros Navais da sua região e foi para a Guerra do Vietnã, onde ficou até 1974, estudando meios de liderança de tropas. Logo após retornar, entrou para o quadro de funcionários da empresa Xerox, onde aprendeu técnicas de vendas.

Graças a esses conhecimentos que foi adquirindo, fundou a Cashflow Technologies, tornando-se assim um importante empresário e investidor. Mas o que tornou Robert um nome conhecido foi a sua carreira como escritor.

Educação Financeira

O livro “Pai Rico, Pai Pobre” tornou-se sua principal marca, além disso, ao todo ele soma a autoria de 15 livros. Ademais, a Cashflow é responsável pela licença da publicação e as vendas de suas obras, que somam mais de 26 milhões de cópias, traduzidas para 40 idiomas e com circulação em 80 países do mundo.

Robert Kiyosaki defende a bandeira de que a Educação Financeira deveria fazer parte da grade escolar tradicional em todos os países do mundo, pois acredita que é algo que deve ser aprendido desde cedo. Sobretudo, baseado nesse seu princípio, tornou-se criador de alguns jogos de mesa educativos, dentre os quais o famoso Cashflow.

Entretanto, os ensinamentos e histórias da infância do autor contidos nos livros são alvo de muitos questionamentos. Já que suas “técnicas” não possuem comprovação científica e a veracidade da existência do pai rico que ele descreve é considerada duvidosa, muitos consideraram que suas obras não têm embasamento teórico para oferecer dicas e conselhos financeiros.

Apesar disso, existem empresários que afirmam que lograram êxito em suas conquistas a partir do que aprenderam ao ler as obras de Robert Kiyosaki. Portanto, pouco importa se suas histórias de infância são ou não verídicas, pois o foco principal é o papel motivacional e instrutivo que elas podem desempenhar na vida dos leitores.

Em suma, para o autor, a base do sucesso financeiro de um adulto reside na educação financeira que ele recebe quando em idade escolar.

Por outro lado, a falta dessa informação (que normalmente não é oferecida na rede convencional de ensino) é a principal raiz da dificuldade de controle sobre as finanças da qual muitas pessoas padecem.

Livro: Pai Rico, Pai Pobre

Sobre o livro

O principal livro de Robert Kiyosaki foi escrito em coautoria com Sharon L. Lechter, pois o empresário admite que escrever não é um dos seus pontos fortes, chegando a fazer piadas sobre suas dificuldades com o inglês.

De fato, Sharon escreveu outros 6 livros junto com Kiyosaki, todos dentro de sua principal marca “Pai Rico”. Aliás, ele tem três projetos em sociedade com Sharon e com sua esposa, Kim. Além de “Pai Rico”, sob sua direção, também conta com “Família Rica”, coordenado por Sharon e “Mulher Rica”, coordenado por Kim.

Pai Rico, Pai Pobre foi lançado em 1997 e tornou-se o primeiro best-seller de Robert Kiyosaki. De acordo com o livro, os autores defendem que a melhor forma de construir a independência financeira é tornando-se “patrão”. Ou seja, comprar imóveis e ter um negócio próprio funciona melhor do que trabalhar como empregado para outras pessoas.

Em síntese, o principal foco de análise são as diferenças nos conceitos de ativos e passivos entre pobres e ricos. Por um lado, os ricos consideram como ativos quaisquer bens que possam produzir renda (casas de aluguel ou ações, por exemplo). Consequentemente, passivos são aqueles que geram custos (para eles, casa e automóvel próprios entram neste último grupo).

Enquanto isso, os pobres compram bens com baixo valor de mercado e acreditam estar adquirindo ativos. Como resultado, vem a diferença na forma como um pai rico e um pai pobre educa seus filhos.

Críticas ao livro

Por fim, o livro foi amplamente criticado, e seus conselhos chegaram a ser considerados perigosos por outros investidores. A impressão que os críticos tiveram é que o discurso é motivacional, as pessoas terminam de ler com vontade de mudar de vida, mas sem saber quais diretrizes tomar para colocar esses planos em prática.

Na minha opinião pessoal, realmente o livro pode ser considerado muito mais motivacional do que prático. Porém, acredito que o primeiro passo do planejamento para começar a investir é encontrar uma motivação. Além disso, traz muitas reflexões interessantes que nos fazem questionar sobre como lidamos com o nosso dinheiro.

Capítulo 1 – Pai Rico, Pai Pobre

No capítulo 1, chamado Pai Rico, Pai Pobre, o autor expõe o problema da falta de instrução financeira e dá uma pequena introdução sobre as 6 lições que o nortearam durante sua vida.

Como você lida com o dinheiro?

Iniciando o resumo do Capítulo 1, a primeira grande reflexão que o autor traz é sobre a forma como o assunto dinheiro é tratado pela maioria das pessoas.

Uma das razões pelas quais os ricos ficam mais ricos, os pobres, mais pobres e a classe média luta com as dívidas é que o assunto dinheiro não é ensinado nem em casa nem na escola. Muitos de nós aprendemos sobre dinheiro com nossos pais.

Robert Kiyosaki

Pensando nisso, faça uma reflexão sobre quem te ensinou sobre dinheiro: essa pessoa sabia realmente cuidar do dinheiro ou ela somente te ensinou o que achava que dava certo pra ela?

Muitas vezes, quem nos ensina sobre dinheiro não necessariamente sabe lidar com o dinheiro. Por esse motivo, esse trecho é interessante para refletir as seguintes questões:

  1. Quantos de nós não repetimos os mesmos hábitos financeiros que os nossos pais praticam?
  2. Você já parou para se perguntar se o que aprendeu é a forma correta de cuidar do seu dinheiro?

Analogamente, o autor chegou à seguinte conclusão sobre não ensinar a cuidar do dinheiro nas escolas:

Isso explica por que médicos, gerentes de banco e contadores inteligentes que tiveram ótimas notas quando estudantes terão problemas financeiros durante toda a vida.

Robert Kiyosaki

De fato, eu conheço médicos recém-formados ganhando mais de R$10.000 por mês que conseguiram entrar em dívidas porque não controlaram seus gastos.

Em outras palavras, mesmo ganhando uma boa quantia, entraram nas dívidas porque não se planejaram. Além disso, existem centenas de casos de artistas que, mesmo ganhando uma fortuna, conseguem chegar à falência por gastar demais.

A importância da instrução financeira

Dessa forma, Robert Kiyosaki mostra que se trata de um problema de falta de instrução financeira, pois não aprendemos e nem discutimos sobre dinheiro e, mesmo assim, repassamos nossos hábitos para os mais jovens.

Outro trecho interessante desse capítulo é o seguinte:

Um pai costumava falar “não dá para comprar isso”. O outro proibia o uso dessas palavras. Insistia em que eu falasse: “o que posso fazer para comprar isso?” Num caso temos uma afirmação, no outro uma pergunta. Um deixa você sem alternativa, o outro obriga você a refletir.

Robert Kiyosaki

Enfim, a forma como você enxerga o problema pode te ajudar a chegar na solução. Por esse motivo, faça as seguintes reflexões pessoais e exercite seu cérebro para achar as soluções dos seus problemas perguntando-se o que você pode fazer para:

  1. Alcançar o seu objetivo?
  2. Comprar aquilo que você deseja?
Comparando o Pai Rico e o Pai Pobre

Em outro trecho, o autor compara os dois pais:

Um recomendava: “Nossa casa é nosso maior investimento e nosso maior patrimônio.” O outro: “Minha casa é uma dívida e se sua casa for seu maior investimento, você terá problemas.”

Robert Kiyosaki

Desse trecho, faço uma reflexão sobre a quantidade de pessoas que financiaram suas casas em parcelas a perder de vista para poder ter a casa própria.

Será que foi uma boa escolha ou foi uma orientação dos pais de que uma casa própria é sinal de estabilidade financeira?

Muita gente pensa que é melhor pagar a parcela do financiamento do que pagar o aluguel, mas será que isso é verdade? Você já colocou no papel o quanto de juros é pago em um financiamento de uma casa?

O que autor quer dizer, ou melhor, o que seu pai rico quer dizer, é que sua casa não deve ser seu maior investimento, nem seu carro, nem nenhum bem material.

Seu maior investimento deve gerar o dinheiro necessário para você ter uma casa, um carro ou qualquer bem material que seja.

Percebe a diferença?

Robert ainda diz:

O dinheiro é uma forma de poder. Mais poderosa ainda, entretanto, é a instrução financeira. O dinheiro vem e vai, mas se você tiver sido educado quanto ao funcionamento do dinheiro, você adquire poder sobre ele e pode começar a construir riqueza.

Robert Kiyosaki

Afinal, quantas histórias de pessoas e empresários que foram a falência, perderam tudo, mas voltaram ao topo porque sabiam como era o funcionamento do dinheiro, ou seja, sabiam qual era o método para construir riqueza.

6 lições que o nortearam durante sua vida

O autor ainda finaliza o capítulo com seis lições que ele repetiu ao longo de mais de 30 anos e que irá tratar nos demais capítulos do livro de forma mais aprofundada:

  1. Os ricos não trabalham pelo dinheiro.
  2. Para que alfabetização financeira?
  3. Cuide de seus negócios.
  4. A história dos impostos e o poder da sociedade anônima.
  5. Os ricos inventam dinheiro.
  6. Trabalhe para aprender — não trabalhe pelo dinheiro.

Conclusão

Em suma, o primeiro capítulo foca em expor o problema da educação financeira, ou seja, as pessoas não aprendem e nem conversam sobre dinheiro. Como consequência, a maioria possui problemas que carregam pela vida toda, pois não sabem encontrar a solução.

No capítulo 2, o autor começa a ensinar a primeira das 6 lições citadas acima: os ricos não trabalham pelo dinheiro.

Murilo Massaretto

Murilo MassarettoEconomista com especialização em Finanças, Investimentos e Banking