fbpx

A Riqueza da Vida Simples – Capítulo 3

Anteriormente, no capítulo 2, o autor parte para as soluções, a começar pelo método tradicional, que não funciona para muitas pessoas e que ele mostra alternativas práticas.

Por outro lado, no terceiro capítulo do livro A Riqueza da Vida Simples, ele continua com exemplos práticos, como o orçamento base zero, mas dessa vez focado naqueles planos que nunca saem do papel ou parecem muito distantes.

Capítulo 3 – Planos novos para quando os velhos fracassarem.

Antes de mais nada, neste post falarei de:

Quando as ambições parecem muito distantes de sua realidade

Gustavo Cerbasi começa o capítulo 3 falando de quando as pessoas nem chegam a elaborar um plano, pois as ambições parecem muito distantes:

Não há limite para a ambição. Mas sabem os ambiciosos que a falta de recursos limita severamente a realização de seus sonhos majestosos. A boa notícia é que raramente a dificuldade de realizar grandes objetivos está na falta de dinheiro – até porque dinheiro é algo que se pode produzir com trabalho e criatividade. O que normalmente falta para alimentar a ambição é a capacidade de elaborar bons planos, ou fazer boas escolhas que tornem viáveis planos bem elaborados.

Gustavo Cerbasi

Por exemplo, uma noiva pode sonhar com um casamento glamuroso, com muitos convidados e uma festa memorável. Mas com o passar do tempo e a falta de recursos, a realização desse sonho fica cada vez mais distante.

Similarmente, um aventureiro que sonha em fazer uma viagem pelo mundo, pode ficar frustrado e ir desistindo desse sonho quando percebe que a limitação dos recursos está afastando-o de seus objetivos.

Entretanto, o que o autor busca mostrar é que através do trabalho e da criatividade, você pode elaborar bons planos para tornar os sonhos em realidade.

Veja, por exemplo, o caso do Pai Rico Pai Pobre, que em uma das suas primeiras lições, alerta para o fato de você usar a sua mente e a sua criatividade para ajudar na resolução dos problemas.

De maneira idêntica, o Gustavo Cerbasi recomenda fazer boas escolhas, pois isso acarretará em bons planos e, consequentemente, na realização de seus sonhos e ambições.

O modelo tradicional

O autor então ensina como fazer um plano seguindo a sua lógica:

Para formular planos bem elaborados e mais ricos, você deve inverter a ordem das escolhas.

Gustavo Cerbasi

Ou seja, você deve primeiro definir os seus sonhos e ambições para então definir o padrão de vida necessário para sua realização, conforme esses passos:

  1. Defina sonhos que você quer alcançar e transforme-os em objetivos;
  2. Desconte de sua renda o que está previsto poupar para os objetivos;
  3. Depois, desconte do que sobrar a verba que pretende destinar para consumir qualidade de vida;
  4. Avalie os recursos mensais que sobram e, então, estude o padrão de vida que você pode pagar com esse dinheiro.

Isso quer dizer que, no modelo tradicional, você primeiro escolhe um desejo e então faz sacrifícios para alcançar. No entanto, o resultado é um orçamento estrangulado.

Consequentemente, os gastos com lazer e cuidados pessoais são sempre postergados. Dessa forma, sua vida se torna um enorme tédio.

Por isso, ao fazer a análise, deve-se levar em conta 2 definições importantes:

  1. Qualidade de vida: cuidados pessoais, lazer e cursos são importantes e devem ser mantidos.
  2. Padrão de vida: gastos inevitáveis como habitação, transporte e educação, podem ser reduzidos caso você encontre um padrão de vida correspondente.

Priorizar seus sonhos exige padrão de vida mais simples

Sobre o padrão de vida, Gustavo Cerbasi tem a seguinte sugestão:

Minha sugestão é que você priorize as grandes realizações futuras e as importantes experiências presentes. Forçosamente, isso exigirá que você gaste menos com seu padrão de vida.

Gustavo Cerbasi

Isso quer dizer que, no caso de seu sonho ser uma viagem para a Europa, por exemplo, a própria realização dessa viagem forçará você a ter um padrão de vida mais modesto.

Essa sugestão traz à tona importantes reflexões:

  • Como reduzir o padrão de vida se já é reduzido?
  • Dá para morar numa casa mais barata se já moro num conjunto habitacional?
  • Como comprar um carro mais barato se o atual já tem mais de 5 anos de uso?

Se o cenário é difícil, reconheça que terá alguns degraus a mais a subir, mas o importante é adotar a estratégia certa.

Voltando novamente no livro Pai Rico, Pai Pobre, use sua mente para pensar na resolução do problema e não para deixar de agir.

Por fim, se for preciso, mude vida!

Não espere as dívidas se acumularem

A recomendação para quem se sente em um beco sem saída em razão das dificuldades financeiras é parar tudo, “passar a régua” e recomeçar.

Gustavo Cerbasi

O pior cenário possível que uma pessoa pode se encontrar é a insolvência, ou seja, quando não há mais capacidade para pagamento de dívidas.

É um erro chegar a esse ponto, mas caso esteja familiarizado, é hora de passar a régua e recomeçar.

Saiba que as dívidas mais negociáveis são aquelas que crescem mais rápido, por exemplo: cartão de crédito, cheque especial, etc.

Portanto, comece renegociando essas dívidas e colocando um freio nas dívidas. Além disso, o banco prefere receber algo certo do que nada, então a renegociação é uma tática para sair dessa situação.

A técnica do orçamento base zero

A técnica do orçamento base zero consiste em não levar em consideração o padrão de gastos existentes até então. Não importa se você gasta 30% de sua renda com moradia, 20% com transporte ou 25% com saúde ou alimentação. Ignora-se a conhecida situação atual e começa-se o planejamento com a seguinte reflexão: Com a renda que possuo, qual seria o padrão de gastos ideal?

Gustavo Cerbasi

Como o próprio autor afirma, a técnica é muito simples, basta seguir os seguintes passos:

  1. Primeiro grandes objetivos
  2. Depois qualidade de vida
  3. Com o que sobra, escolha o padrão de vida

No primeiro passo, seus grandes objetivos podem ser, por exemplo: casamento, viagem pelo mundo, tratamento de uma doença, etc.

Em segundo lugar, a qualidade de vida inclui: cuidados pessoais, lazer, cursos, etc.

Por fim, com o que sobrar, você define: moradia, transporte, alimentação, saúde e educação.

Percebe que não são seus grandes objetivos que se adequam ao seu padrão de vida, mas o contrário. Primeiro seus sonhos, depois o seu padrão de vida.

Em resumo, a mensagem do Cerbasi é de que uma vida mais simples é o caminho para uma vida mais rica em experiências presentes e em concretizações futuras.

Más escolhas passadas limitarão suas escolhas por um tempo

Não se muda o padrão de vida de um mês para outro.

Gustavo Cerbasi

O caminho não é fácil! Algumas escolhas do passado vão ter consequências no seu presente e seu futuro.

Não é tão fácil mudar para uma casa com aluguel menor, por exemplo, você pode ter que esperar o prazo de carência para fazer essa mudança.

Diante de situações como essa, adote os seguintes passos:

  1. Diagnosticar a vida presente
  2. Simular com base zero a vida ideal
  3. Trabalhar constantemente para conduzir o padrão de gastos presentes para o ideal

Na prática, vamos supor que você tenha uma dívida, você vai:

  1. Diagnosticar o quanto deve no total, quantos meses faltam, quanto de juros a pagar, etc.
  2. Simular a vida ideal sem a dívida.
  3. Procurar o banco para renegociar a dívida e trabalhar para quitá-la o mais rápido possível, para que os gastos atuais migrem para o ideal.

A fórmula está dada, mas nem sempre as melhores decisões são tomadas

Você já deve ter percebido, a esta altura, que:

1. Existe um caminho racional para enriquecer;

2. Enriquecer não exige privações em qualidade de vida;

3. É necessário adotar um custo mais baixo nos itens que mais engessam e mais pesam no orçamento.

Gustavo Cerbasi

Repare que a fórmula já está na sua frente, não há segredos. Você já sabe o caminho para sair das dívidas e enriquecer.

Apesar disso, você poderá tentar de outras formas.

Por exemplo, existem pessoas que saem do país para buscar trabalho ou empreender. Mas será que vale a pena passar por esse sofrimento?

Isso porque, ao sair do país, a pessoa abandona sua cultura, seus familiares, suas raízes, muitas vezes em troca de um emprego inferior.

Diante disso, talvez valesse mais a pena adotar um padrão de vida mais humilde aqui, sem abandonar a família e conquistar os sonhos.

Quem se afasta assume um padrão de vida que não assumiria aqui

O que questiono é o sacrifício sem limites, como longas jornadas de trabalho com horas extras e o afastamento da cultura natal. Será que quem está disposto a tamanha privação não poderia fazê-la em seu país, em sua cultura e mais próximo de elementos familiares (pessoas, música, comida) que lhe trariam mais conforto após uma longa jornada de trabalho?

Gustavo Cerbasi

Por que trabalhar como garçom, auxiliar de obras, descarregador em outro país e não aqui no Brasil?

Essas profissão também são dignas e, inclusive, há uma demanda muito grande por quem faz esse tipo de serviço com excelência.

Então, seria o medo de julgamentos e pressões da sociedade?

Ora, se esse for o medo então você não precisa mudar de país para resolver o problema.

E, por fim, será que o resultado não seria similar por aqui?

Ou seja, será que trabalhando em outra profissão inferior aqui no Brasil, porém com maior demanda, o resultado não seria equivalente a mudar de país?

São reflexões que precisam ser feitas antes de tomar uma decisão, pois é possível mudar o padrão de vida sem precisar mudar de país, basta estar livre de julgamentos.

Uma vida rica pressupõe a realização de sonhos

Não importa qual seja sua condição financeira, seu status, o tamanho de sua dívida. Se você tem ou teve sonhos e eles parecem inalcançáveis, ou se sua vida se resume a uma sequência triste e sem perspectiva de acordar-comer-trabalhar-dormir, algo precisa ser feito.

Gustavo Cerbasi

A grande mensagem aqui é que se você não está alcançando, falta organizar melhor seus planos e coragem para começar.

Voltando ao livro do Pai Rico, Pai Pobre, você precisa sair da chamada “corrida dos ratos”, que se resume em trabalhar-comer-pagar as contas.

Conclusão

Chegamos ao final do capítulo e espero que você tenha refletido bastante sobre como fazer seu plano.

Com isso, quando você se dá conta que seu plano não atingirá o objetivo previsto, você ficará desconfortável e partirá para as mudanças.

Mudanças estas que foram listadas passo a passo no resumo desse capítulo.

No próximo post, vou falar sobre o Capítulo 4 do livro: Você tem opções.

Nesse capítulo, o autor mostra como você pode trabalhar o seu padrão de vida, ou seja, como diminuir os gastos fixos.

Comente se gostou ou se concorda com as conclusões tiradas do livro.

1 comentário em “A Riqueza da Vida Simples – Capítulo 3”

  1. Pingback: A Riqueza da Vida Simples – Capítulo 4 - Murilo Massaretto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.