fbpx

A Riqueza da Vida Simples – Capítulo 4

No capítulo 3, o autor cita exemplos práticos, como o orçamento base zero, focado naqueles em te ajudar a montar os planos que nunca saem do papel ou parecem muito distantes.

Agora, no quarto capítulo do livro A Riqueza da Vida Simples, o autor mostra que você tem opções para alcançar seus objetivos e mostra isso de uma forma prática.

Capítulo 4 – Você tem opções.

Antes de mais nada, neste post falarei de:

Você sabe que é caro, mas acha que sua família merece

O autor começa o capítulo 4 com a seguinte frase:

O gargalo de seu projeto está naquilo que você ostenta. Casa, carro, roupas, título de clube, plano de saúde com pacote hospitalar estilo resort. Entram nessa restrição também as últimas férias, parceladas em doze vezes.

Gustavo Cerbasi

Geralmente, a família está habituada a um padrão de vida e, de certa forma, acomodada a viver daquela maneira. Além disso, mesmo sabendo que esse padrão de vida é caro, você ainda insiste em continuar, pois acho que sua família merece.

Cerbasi diz é que não será fácil mudá-lo, pois, toda mudança leva tempo e exige muita conversa. Então, se você não enfrentar a dificuldade da mudança, dificilmente sairá dessa situação.

Por exemplo, há alguns anos atrás eu gostava de comprar um tênis Nike Shox, mas com o passar do tempo, eu percebi que aquele tênis era muito caro pelo que me trazia de benefício e então comecei a comprar tênis mais baratos.

Fazer escolhas é abrir mão de algo em troca de outra coisa

Você decide: quer ter o trabalho de se organizar para uma vida melhor, mais leve e equilibrada ou trabalhar como um condenado, escondendo seu sofrimento da família e dos amigos com um estilo de vida que é ilusório e insustentável?

Gustavo Cerbasi

Quando você se sentir incomodado por não cumprir seus planos, lembre-se que o conforto do atual padrão de vida te impede de buscar um padrão de vida melhor.

Por exemplo, o próprio autor tomou decisões difíceis, como a de trocar o doutorado na USP para empreender fora do país. Ou seja, para buscar um padrão de vida superior ao que ele estava acostumado, Cerbasi precisou abrir mão de coisas que eram importantes para ele.

Escolhas não devem ser feitas apenas com base em números. Eles contam, mas é fundamental entender o que você busca dos números em sua vida.

Gustavo Cerbasi

Decisões difíceis devem ser tomadas de forma consciente e compartilhadas com a família, pois, ao compartilhar as motivações, a própria família pode ajudar a escolher por qual caminho querem percorrer.

Por exemplo, suponha que seu plano seja viajar o mundo. Ao analisar todos os fatores envolvidos, e não só os números, você pode chegar na conclusão de que pode viver viajando, mas com uma remuneração menor.

Por exemplo, nas minhas viagens pelo mundo, conheci pessoas que trabalhavam no hostel por uns dias em troca de comida e hospedagem. Depois, quando terminavam de conhecer a cidade, partiam para conhecer um novo lugar.

Por fim, Cerbasi também dá um exemplo pessoal onde escolheu voltar para o Brasil quando o negócio crescia no Canadá para ficar mais próximo de seu pai. Isso quer dizer que, nem sempre os números importam na decisão, mas sim entender o que você busca.

Ferramentas para o processo de decisão

Meu processo de tomada de decisões, que hoje ensino a meus alunos, envolve quatro técnicas principais: Orçamento doméstico, Análise SWOT, Plano B e Debates, muitos debates.

Gustavo Cerbasi
Orçamento Doméstico

Nenhum planejamento será bem-sucedido se não começar com uma revisão cuidadosa das contas. Para isso, o orçamento doméstico é a melhor ferramenta a ser utilizada.

Não importa a forma como você faz: uma planilha, um aplicativo, um caderno de anotações. Mas, caso queira fazer por meio de planilhas, recomendo a minha planilha de Controle Financeiro.

Análise SWOT

A Análise SWOT é um diagrama que relaciona os pontos fortes (Strengths) e fracos (Weaknesses) da escolha, além das oportunidades (Opportunities) e ameaças (Threats).

Por exemplo, caso seu objetivo seja viajar ao mundo, você pode chegar nas seguintes conclusões:

Força: a vontade de conhecer novas culturas.

Fraqueza: não saber inglês.

Oportunidade: começar um negócio digital.

Ameaça: saudades da família.

O ideal é não parar somente no primeiro ponto da análise, mas sim investigar a fundo os 4 itens de acordo com seu plano, para aí então tomar a decisão final.

Plano B

Essa é a estratégia para quando o plano principal não funciona. Por exemplo, continuando nosso exemplo de viajar ao mundo, um plano B seria fazer um curso online ou uma graduação EAD durante a viagem.

Se algo ser errdo na viagem, você desista e volte para o Brasil, terá aprendido uma nova habilidade ou um novo emprego.

Por exemplo, o Plano B do Cerbasi no Canadá era escrever um livro (Casais inteligentes enriquecem juntos), que futuramente veio a se tornar um sucesso de vendas e o levou ao sucesso.

Debates, muitos debates

Exponha suas ideias para familiares e amigos, pessoas que se importam com você.

Com isso, você dará a oportunidade para que apontem falhas e sugiram alternativas para viabilizar o seu plano.

Além disso, a depender do plano, se essas pessoas já tiveram uma experiência parecida, podem compartilhar os aprendizados para te ajudar na escolha.

Inclusive, se realmente se importarem com você, podem até ajudar a indicar um plano B, caso o plano A não dê certo.

Faça mudanças DEFINITIVAS em sua vida

Se você não está conquistando o que quer, precisa rever seu estilo de vida. E o orçamento base zero lhe dará uma dimensão clara dos recursos à sua disposição para o que seria o padrão de vida ideal para você.

Gustavo Cerbasi

Desfaça preconceitos, como por exemplo, matricular o filho em uma escola pública, ou mudar para uma casa mais modesta.

Existem outros bairros para viver, outras cidades para trabalhar, outras escolas para estudar.

Educação avulsa ganha importância crescente

A educação pública pode ser compensada com aulas de reforço em matérias específicas.

Além disso, cursos online, home schooling ou educação em casa são outros exemplos de como complementar a educação de seus filhos.

Não estou sugerindo que, para economizar, você lance seu filho em uma escola pública, ou deixe-o em casa enquanto tenta educá-lo, ou que jogue tudo para o alto e vá arriscar atravessar a fronteira de outro país. O que estou querendo dizer é: existem opções.

Gustavo Cerbasi
Automóvel próprio não é necessário

Se você mora em uma cidade grande, que possuem uma boa rede de transporte municipal ou via aplicativos. Nesses casos, o carro próprio pode ser desnecessário.

Por outro lado, se você vive em cidades menores, pode aproveitar a possibilidade de alugar um automóvel. Em muitos vezes, a economia compensa.

Mas lembre-se: coloque na conta a manutenção, impostos, perda de valor, custo de oportunidade do valor investido, etc.

Cortar custos é igual cortar unha

Eu, pelo menos, reviso os gastos anualmente e recomendo que todos façam o mesmo.

Gustavo Cerbasi

Você não precisa ir muito a fundo para encontrar oportunidades de corte de gastos. Para isso, basta analisar os pacotes de serviços que você contrata (anuidade do banco, TV por assinatura, serviços de streaming, conta de celular, conta de telefone, etc.).

Será que não tem um plano melhor pelo mesmo preço? Ou melhor ainda, será que não tem um plano idêntico mais barato?

Você tem opções, só não as aproveita por preconceito ou porque não parou para pensar nisso.

Algo está errado e é preciso mudar, recomeçar

Dá para reduzir o padrão de vida quando se mora de favor, só se gasta com comida e remédios e ainda há dívidas acumuladas?

Gustavo Cerbasi

A resposta é que sim! Mas não se engane, não será fácil.

Em primeiro lugar, é preciso liquidar totalmente a vida atual. Ou seja, reconhecer que decisões erradas foram tomadas e que precisa se abrir para as mudanças.

Depois, você precisa desvincular-se da ideia de que você tem um emprego e vive em um determinado bairro. Por exemplo, avaliar a possibilidade de trabalhar com outra profissão que vai te pagar mais pelo serviço ou então mudar para uma cidade que valorize mais a sua profissão atual.

Além disso, avalie onde suas habilidades são mais necessárias e mais bem remuneradas. Em seguida, avalie se é preciso desenvolver alguma nova habilidade para conseguir um novo emprego.

Por exemplo, o trabalho que antes era feito pelo artesão é feito hoje por máquinas. Então, a depender do seu trabalho, talvez vale a pena aprender uma nova profissão.

Por fim, elabore um planejamento com base no que você pode ganhar. Assim, você inicia a transição da vida atual para o modelo futuro esperado.

Se a ideia é mudar, por que não fazer dentro de sua própria cultura?

Para muitas pessoas, a solução está em abandonar o país e buscar soluções longe de sua cultura.

Mas será que não existem soluções dentro da sua própria cultura? Por exemplo:

  • Deixar a vida na cidade para viver no campo.
  • Trocar a praia pela montanha.
  • O calor pelo frio.
  • A cidade atual por uma onde o ensino público seja eficaz.
  • O emprego atual por outro que pague menos, mas em uma região com custo de vida muito menor?
Assim se fortaleceram as favelas

Viver onde muitas pessoas estão na mesma situação é confortante, apesar de não ser confortável.

Gustavo Cerbasi

O autor cita o caso das favelas, pois ao olhar ao redor e ver pessoas na mesma situação econômica, pode ser confortante, porém, não quer dizer que seja confortável.

Se a situação está difícil, pode ser que tenha havido falhas no processo de educação.

Por exemplo, não há nada mais desmotivador do que se reunir com amigos e cada um ficar disputando quem está na pior situação.

Por outro lado, se a conversa for positiva, isso te inspirará a buscar coisas melhores.

A distância não é desculpa para você não viver melhor. Você, definitivamente, tem opções.

Conclusão

Chegamos ao final do capítulo 4 e espero que você tenha captado a principal mensagem que é: você tem opções.

No próximo post, vou falar sobre o Capítulo 5 do livro: A riqueza da vida simples.

Nesse capítulo, que também é o título do livro, o autor mostra a riqueza de uma vida simples de uma forma prática, falando de como fez para se conectar com o campo e levar uma vida mais simples, sem deixar de ter riqueza.

Comente se gostou, escreva suas dúvidas e até o próximo capítulo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *